Ansiedade é um sentimento que pode estar presente na vida de muitas pessoas, principalmente diante de situações que provocam expectativa, medo ou insegurança. Podemos ficar ansiosos antes de um encontro, antes de uma entrevista de emprego ou quando temos que tomar uma decisão muito importante.

Nessas situações a ansiedade é vista como algo que nos prepara para um desafio, e superada a ocasião, nosso estado emocional volta ao normal. Entretanto, em alguns casos, a ansiedade não acaba aí, trazendo consequências negativas por muito mais tempo que o normal.

O TAG (transtorno da ansiedade generalizada), segundo o DSM.IV (Manual de Classificação de Doenças Mentais), é um distúrbio caracterizado pela preocupação excessiva, que vai além da expectativa, persiste por mais tempo e é de difícil controle. Ela perdura por pelo menos seis meses e vem acompanhada pelos seguintes sintomas: inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular e perturbação do sono.

O que é a ansiedade

Primeiramente é preciso diferenciar a ansiedade da depressão, pois muitas pessoas ainda confundem as duas doenças. Para saber mais sobre a depressão, acesse nossa postagem sobre esse transtorno.

Quando se trata de ansiedade e depressão, após um breve estudo, são perceptíveis a diferenças entre os dois transtornos. No contexto popular, a ansiedade é caracterizada quando alguém está apreensivo por algo que vá acontecer em breve. Mas é preciso diferenciar esse significado do que realmente representa a patologia.

Ela é muito mais abrangente. A partir do momento em que essa preocupação, tensão, medo ou pavor passa a se apresentar com maior frequência e em alta intensidade, já é sinal de que é preciso uma intervenção médica.

ansiedade

Vale ressaltar também que o nível de ansiedade é desproporcional aos acontecimentos vividos pelo indivíduo, causa muito mais sofrimento e interfere diretamente na qualidade de vida e interações sociais de quem sofre com a doença.

O TAG pode afetar pessoas de várias faixas etárias, desde o nascimento até a velhice. Pesquisas indicam que ele é mais frequente no sexo feminino, principalmente nas mulheres mais jovens.

Sinais e sintomas da ansiedade

Além do estado de se sentir tenso e preocupado na maior parte do dia, quem sofre de ansiedade pode perder o interesse e prazer em realizar atividades do cotidiano. Outros sintomas da patologia são:

Medos irracionais: a pessoa apresenta medos e fobias muitas vezes sem sentido ou justificativa alguma, como ter medo de alguns animais ou até mesmo de estar no meio de uma multidão;
Alteração de sono: o ansioso pode ter insônia ou até mesmo acordar no meio da noite com o pensamento obsessivo em alguma coisa;
Perfeccionismo: Esse sintoma geralmente aparece em quem sofre constante pressão, seja familiar ou profissional;
Tensão muscular: a pessoa pode ter problemas musculares, pois exigem mais do que o corpo suporta. É muito comum ver alguém que sofre de ansiedade apertando os punhos ou forçando a mandíbula;
Roer as unhas: esse é um dos sintomas mais comuns de quem apresenta ansiedade;
Problemas intestinais: o sistema gastrointestinal acaba sendo prejudicado em pessoas que apresentam ansiedade, e o indivíduo acaba sentindo muita dor estomacal, problemas de digestão, diarreia ou azia.

Por muito tempo os sinais não eram notados pelas pessoas e até mesmo por quem já sofria desse mal. Os sintomas muitas vezes eram ignorados ou até mesmo desconsiderados pelas pessoas. Entretanto, a imagem da doença atualmente vem sendo mais estudada e mais casos estão sendo diagnosticados mais precocemente, o que auxilia no tratamento e processo de cura.

ansiedade 01

Causas da ansiedade

Ainda não é possível afirmar com precisão por que algumas pessoas são mais propensas do que outras a terem ansiedade. Mas alguns fatores são levados em consideração para justificar a doença, como:

⦁ Histórico familiar com transtornos de ansiedade;
⦁ O ambiente em que a pessoa esteja, pois um trabalho que exija muito ou um dia a dia estressante pode ocasionar não só a ansiedade, como também outros transtornos;
⦁ Doenças físicas, como problemas cardiovasculares, hipertireoidismo ou o hiperadrenocorticismo;
⦁ Uso de drogas;
⦁ Problemas respiratórios.

Como é possível perceber, as causas podem ser tanto externas como internas ao próprio indivíduo. Por isso é preciso que só um médico especialista, como o psiquiatra, seja o responsável por fazer o diagnóstico preciso da doença.

Fatores de risco da Ansiedade

Como falamos anteriormente, a ansiedade é uma doença que pode atingir pessoas de qualquer idade, sexo e classe social. Entretanto, há alguns fatores de risco que podem influenciar diretamente no aparecimento do transtorno. Entre eles, estão:

⦁ Estresse decorrente de doenças físicas sérias;
⦁ Estresse excessivo;
⦁ Personalidade, já que a linha de raciocínio e modo de agir pode provocar o aparecimento do transtorno;
⦁ Abuso de substâncias, como álcool, cigarro e outras drogas.

Tratamentos da ansiedade

Muitas pessoas que possuem ansiedade desconhecem ou não procuram ajuda médica especializada, mesmo que seja possível o tratamento efetivo. O processo geralmente envolve uma medicação específica, receitada por pelo menos seis meses a um ano para que os sintomas desapareçam.

ansiedade 02

Terapia comportamental e medicamentos

O tratamento do transtorno de ansiedade inclui o uso de medicamentos antidepressivos ou ansiolíticos, sob prescrição médica, e a terapia comportamental cognitiva. É essencial que sob hipótese alguma ocorra a automedicação, alteração de dosagem ou trocar um remédio por outro sem a devida indicação do médico especialista.

Os ansiolíticos funcionam como tranquilizantes, sendo indicados para as situações em que o indivíduo precisa se acalmar. Os antidepressivos, por sua vez, são utilizados em modalidades mais avançadas da patologia, sendo proibidos em casos onde a pessoa apresenta apenas sintomas leves do transtorno.

Há casos onde é necessário o uso de antipsicóticos, quando o nível de ansiedade é tão avançado que a pessoa já apresenta associações com problemas mais graves mentalmente, não consegue distinguir o que é real ou irreal e tem pensamento distorcidos.

Remédios e ações naturais são indicadas para a prevenção e controle da ansiedade, como chás e sucos naturais. Além disso, é aconselhável que o indivíduo pratique atividades físicas, principalmente aqueles que trazem satisfação pessoal.

No tratamento psicológico, o indivíduo receberá auxílio para que ele possa entender a origem do transtorno e treine a sua mente para que ele desvalorize os eventos negativos que causam os sintomas do problema. Dessa forma, o indivíduo pode retornar a vivenciar o seu cotidiano sem que seja afetado pela ansiedade.

Não deixe para depois

Quem sofre de ansiedade acaba sendo prejudicado principalmente no seu convívio social quando a doença não é tratada da maneira correta. Devido aos seus sintomas, o comportamento apresentado pelo portador muitas vezes pode ser confundido com tensão ou apreensão. Por isso, a avaliação deve ser feita por um médico especialista para que o tratamento seja iniciado da forma adequada.

A Clínica Viva conta com unidades em Recife (masculina e feminina) e Brasília, e oferece planos de tratamento para a ansiedade, com a prescrição de medicamentos específicos para a doença e terapia comportamental cognitiva.

Nós aceitamos os mais diversos planos de saúde com o intuito de atender às necessidades de cada pessoa. Se você sofre com ansiedade ou conhece alguém que sofre, não deixe para depois, busque ajuda. Quanto mais cedo tratada, mais efetiva será a recuperação.

Clique aqui e agende uma consulta de avaliação conosco.