A cada dia que passa, novos produtos são lançados nos mais variados segmentos. Sejam celulares mais modernos, roupas da moda ou carros com mais componentes, para as empresas o que importa é faturar. E isso só pode ser feito a partir do momento que as pessoas sentem a necessidade de adquirir aquele item.

Entretanto, todo esse sistema aparentemente apenas mercadológico fez surgir nos últimos anos um tipo de transtorno que a cada dia mais preocupa os médicos. Chamada de compra compulsiva, ou oniomania, essa doença atinge pessoas de todos os sexos, idades e classes sociais.

Quer saber tudo o que envolve essa patologia, suas causas e sintomas? Então continue lendo e descubra porque quando identificada, a compra compulsiva deve ser combatida o quanto antes.

O que é a compra compulsiva

A compra compulsiva é um distúrbio impulsivo. O indivíduo não tem satisfação ou desejo no ato, e a compra é feita somente por um impulso doentio, não gerando prazer algum à vítima. Além disso, o transtorno gera prejuízo financeiro e pessoal, interferindo no relacionamento afetivo e familiar do indivíduo.

A compulsão por compras normalmente é acompanhada pela ansiedade e depressão, e nos períodos de excessos é possível o surgimento também da bipolaridade. O indivíduo com esse distúrbio pode apresentar pensamento compulsivo, ou seja, mesmo que ele não queira pensar em determinado assunto, o pensamento “invade” sua mente.

O comportamento compulsivo ocorre para gerar alívio na vítima, porém este sentimento tem uma duração curta. Além disso, a compra compulsiva pode se transformar em compulsão por comida, por jogo, entre outras tantas formas.

compra compulsiva

Segundo Luiz Carlos Ilafon Coronel, primeiro-secretário da Sociedade Brasileira de Psiquiatria, o mecanismo do transtorno é semelhante ao da droga. “O dependente químico toma a droga e se alivia momentaneamente, mas logo já volta a ter necessidade do consumo”, afirma.

A mesma coisa acontece com os compulsivos. Eles acabam de comprar algo, mas já são levados a comprar outra coisa novamente. Luiz afirma que quando a vítima tem dinheiro para comprar, os problemas são menores, quando não, ela acaba pedindo emprestado, e isso vai gerando outros transtornos graves, já que ela começa a ter dívidas cada vez maiores.

Sinais e sintomas da Compra Compulsiva

Os sinais da compra compulsiva muitas vezes não são tão claros se comparados aos de outras síndromes e transtornos, pois o indivíduo em algumas ocasiões consegue esconder o problema de amigos ou familiares. Entretanto, há maneiras de identificar determinados padrões de comportamento de quem pode ou não ter a doença.

Entre os principais sintomas e sinais da compra compulsiva estão:

⦁ Compra de itens desnecessários;
⦁ Pensamento obsessivo em compras;
⦁ Ter muitas dívidas relacionadas a compras;
⦁ A pessoa fica irritada ao ser questionada sobre os seus gastos;
⦁ Omite ou mente sobre as compras;
⦁ Adquire itens frequentemente por impulsos;
⦁ Compra além do que é preciso;
⦁ Estresse após gastar dinheiro;
⦁ O indivíduo pode apresentar sintomas de depressão e ansiedade.

Embora esses sejam alguns dos sintomas e sinais apresentados por quem pode ter o transtorno, o mais importante é avaliar a frequência que o ato ocorre. Por isso é importante que amigos e familiares fiquem atentos ao comportamento de alguém que apresente os sinais que foram citados acima, pois o problema pode se agravar caso o tratamento não seja iniciado rapidamente.

compra compulsiva 01

Causas da Compra Compulsiva

Embora a compra compulsiva tenha ganhado mais evidência nos últimos anos, ela já é considerada uma doença desde os anos 80. Desde então, vários estudos tentaram entender melhor a patologia, mas os médicos e especialistas ainda não chegaram a um consenso.

Um dos motivos apresentados é o histórico familiar e o comportamento do próprio indivíduo, como tendo perfil compulsivo não só com as compras, mas também em outros atos cotidianos. Além disso, a genética também pode influenciar, pois estudos indicam que alterações na enzima MAO-A podem ocasionar o distúrbio.

Fatores de risco da Compra Compulsiva

Assim como diversos transtornos que afetam os comportamentos dos pacientes, os fatores de risco da compra compulsiva estão associados a condições psicológicas e genéticas. Entenda algumas dessas condições:

⦁ Estudos mostram que 90% a 95% dos casos da compra compulsiva acontecem em mulheres;
⦁ Sintomas da depressão ou ansiedade;
⦁ Pertencer a classe A ou B.

Tratamentos da Compra Compulsiva

Um dos problemas da compra compulsiva é a necessidade de um diagnóstico especializado, pois é uma linha muito tênue que separa um indivíduo comum daquele que apresenta a patologia.

Após identificado o problema, o tratamento geralmente é iniciado com a aplicação de medicamentos ao mesmo tempo em que ocorre o acompanhamento psicológico, tendo em vista que ao longo dos anos essa associação se mostrou muito eficaz. Os remédios mais utilizados são os antidepressivos e ansiolíticos, pois eles atuam diretamente nas funções neurológicas do paciente.

Conheça os principais tipos de tratamentos da Compra Compulsiva

O tratamento da compra compulsiva varia de acordo com cada caso, principalmente porque a origem do problema muda de acordo com o paciente. Na maioria das vezes ocorre a aplicação de remédios (ansiolíticos) associados a terapias comportamentais. Além disso, é fundamental que amigos e familiares deem todo apoio durante todo o processo, sem fazer julgamentos, pois isso interfere diretamente nos resultados do procedimento.

compra compulsiva 02

Terapia Cognitivo-Comportamental

A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) é baseada na hipótese de que a fragilidade cognitiva é uma das causas do transtorno emocional. Seu princípio se baseia na tese de que o comportamento humano é o resultado da associação dos sentimentos internos e ações a que o indivíduo está inserido.

A TCC tem como objetivo alterar o pensamento e crenças do indivíduo, com o intuito de construir uma nova realidade que se adeque à normalidade, além de atuar no campo emocional, estimulando a pessoa a agir de forma mais positiva.

Medicamentos: ansiolíticos e depressivos

Como falamos anteriormente, os ansiolíticos e os antidepressivos são muito utilizados no tratamento da compra compulsiva, principalmente pelo fato deles terem efeito calmante. Eles agem diretamente nas funções cerebrais, ajudando a equilibrar o sistema nervoso do paciente.

A aplicação desses medicamentos deve ser feita de forma controlada, pois há outros riscos que envolvem os remédios, como automedicação e superdosagem. Alguns dos efeitos colaterais desses medicamentos são: sonolência, irritabilidade, dependência química ou física.

Não deixe para depois

Quem sofre com compra compulsiva acaba sendo prejudicado tanto no convívio social como no âmbito familiar e financeiro. O indivíduo muitas vezes acaba acumulando dívidas pela falta de controle nos gastos, o que pode prejudicar até mesmo as finanças de terceiros. Por isso é fundamental que amigos e parentes fiquem atentos aos primeiros sinais da doença, pois o quanto antes o tratamento se iniciar, maiores as chances de se obter sucesso.

A Clínica Viva conta com unidades em Recife e Brasília (masculina e feminina), e oferece planos de tratamento para compra compulsiva, com a prescrição de medicamentos específicos para a doença e atividades que podem ajudar a reestabelecer o lado emocional do indivíduo.

Nós aceitamos os mais diversos planos de saúde com o intuito de atender às necessidades de cada pessoa. Se você sofre com compra compulsiva ou conhece alguém que sofre, não deixe para depois, busque ajuda. Quanto mais cedo tratado, mais efetiva será a recuperação.

Clique aqui e agende uma consulta de avaliação conosco.