Quando se fala em depressão e nos sintomas que a doença carrega consigo, muitas pessoas desejam ajudar alguém que elas conhecem e que luta diariamente com o transtorno, mas não sabem como fazer isso. Isso porque, apesar de ser um tema em constante discussão na mídia, é um distúrbio que as pessoas não conseguem entender e decifrar os mistérios e características por trás.

Por isso é tão comum escutar a pergunta “depressão tem cura?”, tanto por parte de quem não tem depressão, quanto, principalmente, por quem sofre com a doença. No entanto, a mesma pergunta tem dois significados completamente diferentes, dependendo de quem faz esse questionamento.

Não entendeu ou quer descobrir se a depressão tem cura? Continue lendo o nosso artigo para saber mais!

Pessoa com depressão

Fonte: Unsplash.com

Afinal, o que é depressão?

Antes de saber se depressão tem cura, é necessário entender bem o que realmente é a doença e do que se trata. A primeira crença errada que precisa ser desmistificada é a ideia que as pessoas têm sobre depressão e tristeza, pois acham que ambas são a mesma coisa. Você também não sabe diferenciar? Então preste atenção a essa explicação simples e fácil de entender:

A tristeza é um estado emocional comum a todas as pessoas do mundo. Em vários momentos durante a vida, todos nós iremos nos sentir tristes, para baixo e até mesmo desmotivados. No entanto, há dois fatos que esclarecem muito bem a diferença entre tristeza e depressão. O primeiro é que em praticamente todos os casos de tristeza há um motivo por trás da emoção, seja algo bobo como planos cancelados ou até mesmo uma situação mais séria, como o fim de um relacionamento ou a morte de um ente querido.

Já na depressão, não é necessário ter um motivo recorrente para que a doença se instale no indivíduo. Ela é considerada um distúrbio afetivo que já acompanha a humanidade há longos anos. Pessoas que sofrem com a depressão apresentam uma tristeza profunda, perda de interesse no geral, com muita falta de ânimo, falta de apetite ou compulsão alimentar, ausência de prazer e oscilações de humor que podem culminar em até pensamentos suicidas.

E na verdade, muitas vezes, as pessoas com depressão podem até se sentir culpadas por terem uma vida boa, sem grandes dificuldades financeiras ou emocionais, mas mesmo assim não conseguem ser felizes. A pessoa acaba se afundando na ideia de que não vale a pena e que nada é bom o suficiente para querer fazê-la ficar.

O segundo fato que diferencia tristeza e depressão é a duração. A tristeza acontece por alguns momentos, enquanto a depressão, mesmo acontecendo em episódios, dura mais de 15 dias ininterruptos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (ONG).

Durante esse tempo, o indivíduo se sente completamente desmotivado, sem forças até mesmo de realizar tarefas simples como levantar da cama, tomar banho e se arrumar. Estudos mostram que depois do primeiro episódio de depressão, há 70% de chances do indivíduo passar por outros, se não tratar a doença o mais rápido possível.

Pessoa com depressão

Fonte: Unsplash.com

Tipos de depressão

Existem diversos tipos de depressão, abaixo vamos listar os mais comuns, confira!

Episódio depressivo

O episódio depressivo costuma ser caracterizado como um período curto de tempo em que o indivíduo apresenta uma alteração em seu humor e comportamento, com os seguintes sintomas:

  • Falta de energia;
  • Humor deprimido;
  • Falta de prazer;
  • Falta de iniciativa e vontade;
  • Alteração do sono;
  • Mudanças no apetite;
  • Lentidão dos pensamentos;
  • Lentidão motora.

Transtorno depressivo maior

Se uma pessoa começa a ter quadros depressivos recorrentes ou mantém os sintomas por mais de seis meses, com a intensificação do quadro, podemos considerar que ela já se encontra em um transtorno mais grave.

Geralmente esse tipo de depressão tem ligação com a herança genética, pois há uma mudança química no funcionamento do cérebro, que pode desencadear a partir de uma causa física e/ou emocional.

Depressão bipolar

As fases de depressão dentro do transtorno bipolar também são consideradas um subtipo de depressão. E os sintomas apresentados nessa fase são os mesmos de um episódio depressivo. Em fases de euforia, a pessoa pode apresentar sintomas como:

  • Agitação;
  • Ocupação com diversas atividades;
  • Aumento de energia;
  • Aumento de impulsividade;
  • Obsessão com determinados assuntos;
  • Desatenção;
  • Hiperatividade.

Distimia

Distimia é uma forma crônica da depressão, mas um pouco mais leve do que a mais conhecida pela população.

Com ela, o indivíduo pode perder o interesse nas atividades diárias normais, como já citado no texto, se sente sem esperança, tem baixa produtividade, baixa autoestima e é uma pessoa excessivamente crítica, que reclama o tempo inteiro e é incapaz de ser feliz.

Depressão pós-parto

A depressão pós-parto ocorre assim que a mulher tem o bebê. Dentre os sintomas está a tristeza profunda, desesperança e confusão mental. Isso acontece por conta das alterações hormonais decorrentes do fim da gravidez, que em algumas mulheres podem ter muita intensidade e acabar desenvolvendo a depressão pós-parto.

Depressão psicótica

Na depressão psicótica existe um misto de sintomas, dentre eles está a tristeza e alguns menos comuns, como delírios e alucinações. Este tipo de depressão é considerado grave, mas raro.

Porém, ninguém está livre de desenvolver esta doença, pois ela não é apenas um problema que pode ser passado pela genética.

Pessoa com depressão

Fonte: Unsplash.com

Depressão tem cura?

Agora que você já sabe o que é depressão, alguns dos seus sintomas, a diferença entre o distúrbio e a tristeza, e os tipos mais comuns, com certeza ainda está se fazendo a mesma pergunta do início do artigo: então, depressão tem cura?

Como falamos antes, a pergunta pode ter dois significados completamente diferentes, dependendo de quem faz o questionamento. Quem não tem depressão, se faz essa pergunta por realmente ter dúvida, por não saber como lidar com a depressão e querer ajudar alguém em sua vida que luta contra a doença.

Já quem tem depressão se faz essa pergunta, muitas vezes, por estar tão deprimido ao ponto de não enxergar mais saída para um problema tão grande. Afinal, será mesmo que existe cura para uma doença que aniquila qualquer ponta de esperança, motivação e felicidade? A resposta é sim, depressão tem cura!

Tratamento para a depressão

Como você pode perceber durante a leitura deste artigo, a depressão tem cura, não importa qual seja o nível da doença (leve, moderada ou grave) e o tipo. Por esse motivo, sabendo que ela traz diversas consequências graves e até fatais para as vítimas, é mais do que necessário procurar um apoio médico. Por isso, a melhor opção é investir em uma clínica de recuperação que saiba lidar com as dificuldades do tratamento da depressão.

A Clínica Terapêutica Viva Melhor possui tratamentos para a depressão, transtorno bipolar, ansiedade, síndrome do pânico, borderline, transtorno obsessivo compulsivo e vários outros tipos de transtornos psicológicos, psíquicos físicos, dependência química e alcoolismo.

Nós já ajudamos a salvar centenas de vidas nos mais de 10 anos de funcionamento. Possuímos uma equipe especializada e multidisciplinar preparada para atender a todos que precisam de auxílio para sair dessa situação tão delicada!

Se você quer saber mais sobre como lidar com a depressão ou conhece alguém que passa pelos problemas colocados no artigo, entre em contato conosco através dos números:

(61) 3244-1810 | Brasília/DF
(81) 3032-4567 | Recife/PE
(62) 99180-1328 | Anápolis/GO

Ou, se preferir, agende uma avaliação agora mesmo!