No momento em que os familiares descobrem o vício, a pergunta feita no título do arquivo se torna a pergunta de suas vidas: ‘Como funciona a reabilitação de um dependente químico?’. Essa é a alternativa que pode devolver ao seu ente querido a uma vida de qualidade.

No entanto, falta muito esclarecimento no que diz respeito ao processo de reabilitação. Muitas pessoas só conhecem o que assistem nos jornais, novelas, e programas de TV, o que geralmente envolve uma pessoa sendo presa de maneira violenta ou quando não precisa realmente de ajuda.

Nesse contexto, nosso artigo tem o objetivo de instruir parentes e possíveis pacientes a respeito de como funciona a reabilitação de um dependente químico. É importante que você leia e compartilhe para que  as pessoas saibam como será o período de internação e se é que ele será necessário.

Quais são os graus de dependência?

Como mencionamos mais acima, é necessário que há um pouco mais de informação no que diz respeito às diferenças nos níveis de adicção. Sendo assim, o mais apropriado para os tratamentos é que eles sejam adaptados para cada um desses níveis.

São eles:

·  Dependência química leve;

·  Dependência química moderada;

·  Dependência química grave.

Assim sendo, uma pessoa com dependência química leve não deve esperar o mesmo tratamento que uma pessoa com o quadro grave recebe.

Como funciona a reabilitação para cada caso?

Vamos citar alguns exemplos com relação ao recurso da internação para dar um exemplo.

– Internação

O paciente com dependência leve não necessariamente necessita ficar internado, mas necessita de avaliação constante – pelo menos semanalmente ou quinzenalmente.

No caso dos pacientes com dependência química moderada ou grave, internar o paciente se torna uma questão imprescindível porque não é mais possível viver sem a interferência do vício.

No entanto, até entre esses grupos de pessoas há uma distinção na duração da internação.

O importante é que em todos esses casos o acompanhamento dos pacientes seja conduzido de maneira profissional e completa, no sentido de que se a dependência afeta todas as áreas da vida de uma pessoa, o tratamento tem que ter o mesmo grau de amplitude.

Nesse contexto, a Clínica Terapêutica Viva Melhor tem condições de oferecer esse tipo de tratamento, já que trabalha com dependência química, além de tratar também casos de depressão, ansiedade, síndrome do pânico, transtorno bipolar, borderline, transtorno obsessivo compulsivo e vários outros tipos de transtorno.

Os profissionais já participaram de inúmeras reabilitações efetivas nos mais de 10 anos de funcionamento e estão preparados para atender a dependentes químicos precisando de ajuda independentemente do grau de dependência que apresentam.

Se você deseja se informar melhor sobre a reabilitação de um dependente químico ou conhece alguém que passa pelos problemas colocados mais acima, entre em contato conosco.

(61) 3244-1810 | Brasília/DF
(81) 3032-4567 | Recife/PE
(62) 99180-1328 | Anápolis/GO